O Apito

gravada em
 Zecarlos Ribeiro

O apito?
O apito serve para espantar os bichos e os homens
Que seguem ao longo dos trilhos
Quando vão trabalhar lá na roça
Ainda é madrugada
Eles vão andando tão sonolentos!
Serve também
Para avisar o pessoal da estação
Que chegou a hora de dizer adeus...

Nesse instante o viajante
Aparece na janela
E num acesso de alegria
Ele acena com as mãos

A alegria de viajante é tão evidente
Que chama a atenção do trabalhador
Ele pára, acende um cigarro
Percorre seus olhos vagão por vagão
Enquanto o trem se arrasta devagarinho na serra
Ele se convence por alguns instantes
Que aquilo sim é viver
Embora no fundo ele sabe que é mentira
Ele não está tão certo disso

O trem?
O trem além de levar a riqueza e a miséria
Leva o viajante pra muito longe
Serve também
Para avisar o pessoal que está trabalhando
Que chegou a hora de tomar café

Quando ele vem no fim da tarde,
Eles limpam as ferramentas
E os meninos se aprontam
Vão estudar lá na cidade

O dia em que os homens da capital
Tiraram o trem de circulação
A sombra das árvores
Passou da medida no chão
E eles ainda nem tinham tomado café
E a professora ficou uma arara
Porque seus alunos atrasaram uma hora


Ná: voz
Paulo: violão de aço, tom tom e surdo
Ciça: piano
Hélio: sax alto, apito e afoxé
Gal: bateria
Geraldo: agogô
Pedro: temple block
Zecarlos: afoxé